Makota Valdina Não sou descendente de escravos. Eu descendo de seres humanos que foram escravizados."

Compartilhe:
Não sou descendente de escravos. Eu descendo de seres humanos que foram escravizados."
Makota Valdina
Mãe de Santo do Tanuri Junsara e da Consciência Negra no Barasil
Valdina Pinto de Oliveira, nascida em Salvador em 1943. É professora aposentada da rede pública municipal, educadora, ativista política e membro do Conselho de Cultura da Bahia. Valdina Pinto ocupa o cargo de Makota, assessora da Nengwa Nkisi, Mãe de Santo do Tanuri Junsara, Terreiro de Candomblé Angola, em Salvador.
Nascida, criada e sempre moradora do Engenho Velho da Federação, bairro de Salvador onde se registra a maior concentração de Terreiros de Candomblé, ela é reconhecida como educadora, religiosa, ambientalista e militante negra. No ano de 2005, foi proclamada “Mestra de Saberes” pela Prefeitura Municipal de Salvador.
Durante os mais de cinquenta anos de ensinamentos e atividades em prol da preservação do patrimônio cultural afro-brasileiro, Makota Valdina recebeu diversas condecorações como o Troféu Clementina de Jesus (UNEGRO), Troféu Ujaama, Medalha Maria Quitéria e Mestra Popular do Saber.
Foi lançado em 2013, “Meu Caminho, meu Viver” contra trajetória da professora e militante. Fotos e registros antigos motivaram Makota Valdina a escrever a obra. No livro, ela conta sua história, desde a infância vivida no bairro até os dias de hoje. Makota é reconhecida pela constante luta pelos direitos das mulheres, contra o racismo e a intolerância religiosa, pela igualdade de direitos e por uma sociedade sem preconceitos
Compartilhe:

Cultura

Fazer um comentário: